Como acompanhar corretamente meu filho na escola?

Quando o filho, na escola, começa sua jornada, um novo cenário entra na vida familiar! Essa etapa é muito importante e permanecerá por longos anos até que a criança se torne adulto, realizado profissionalmente.

Mas, até lá, os pais são os grandes incentivados, educadores e responsáveis por esse processo de aprendizagem, junto com outros profissionais, para que ele seja crescente e agradável para o filho na escola.

Claro que os pais não estão sozinhos e até se acham despreparados pedagogicamente. Porém, nada como a informação para ajudar nesse caminho e o exemplo de quem tem experiência prolongada sobre o assunto.

Por isso, preparamos este post sobre como acompanhar corretamente o filho na escola. Confira até o fim!

A importância do acompanhamento do filho na escola

Ao discursar às escolas italianas, o Papa Francisco afirmou: “eu amo a escola, a amei como estudante, professor e bispo”. Nessas palavras do Papa, encontramos o primeiro sentimento que os pais precisam demonstrar aos seus filhos: amor à educação e à escola.

Assim começa um acompanhamento escolar agradável também para os pais. O fato de gostar da escola significa que houve uma escolha e uma identificação com a Instituição, mas ela está longe de ser impecável, da mesma forma que a família também.

Portanto, o acompanhamento do filho na escola começa pela escolha do estabelecimento adequado de ensino onde os pais tenham oportunidade de participação, diálogo e acolhimento. 

Também, pesquisas comprovam que a participação ativa dos pais na vida escolar dos filhos aumenta a capacidade deles de aprender e até acelera o desenvolvimento cognitivo e motor das crianças.

Em vista disso, vejamos algumas ações que, colocadas em prática, ajudam os pais a fazerem esse acompanhamento.

Participe da vida escolar do seu filho na escola

Tendo feito a escolha da escola, agora é mãos à obra! Tudo começa pelas pequenas coisas, desde a organização do material escolar, o lanche, o uniforme e o deslocamento até lá. Mas se prolonga em outras ações que fazem a diferença no contexto educativo.

Por exemplo, saber quem são os amigos; com quem ele(a) brinca sempre; perguntar como foi o dia; escutar as histórias e os conflitos do dia a dia. Isso ajuda a criança a se expressar, a perder o medo, a sentir-se importante e a melhorar nos relacionamentos interpessoais.

Além do que, participar das atividades promovidas pelo colégio, conversar com a professora sobre as dificuldades do seu filho na escola; aproximar-se de outros pais para dialogar sobre aprendizado e buscar soluções em parceria quando houver algum problema.

Filho na escola – crie uma rotina de estudos

Pode até parecer exagero, mas, a partir do primeiro ano da séries iniciais (antiga alfabetização), a criança já começa um aprendizado consistente. Logo, isso exige atenção e disciplina.

Por isso, uma das formas de acompanhar seu filho na escola é criar uma rotina de estudos ou, se preferir, de realização das atividades. Porém, isso pede lugar, horário e presença, sem falar em paciência e disponibilidade.  Mas tudo irá favorecer o desenvolvimento e a autorresponsabilidade.

Estimule o aprendizado ativo

Antigamente, a educação funcionava assim: o professor falava e o aluno aceitava. O aprendizado era unilateral, sem a participação da criança, apenas o professor tinha razão de tudo e o estudante era como uma tábua que recebia toda informação.

Mas, graças a Deus e à evolução das teorias educacionais, isso passou ou pelo menos diminuiu. Hoje, o ensino moderno coloca o aluno como protagonista, ou seja, ator do seu aprendizado. E para isso, existem diversas formas de estímulo através das metodologias novas de aprendizagem, como: pesquisa, jogos, pinturas, entre outras. 

No entanto, em casa, os pais devem estimular seu filho a encontrar as respostas, pesquisar, fazer a própria atividade, evitando resolver por ele; e quando a criança já consegue fazer sozinha, não pode faltar aquela fala dos pais: “deixa eu ver se deu certo!”

Não precisa ser professor, mas acompanhador das atividades

Não é de se admirar que, à medida que os anos se passam, o ensino se aprofunda. Logo, os pais se acham incapazes de ajudar o filho na escola com as atividades. Mas os filhos não precisam de outros professores em casa, mas de acompanhadores, e a boa notícia é que ninguém precisa se envergonhar disso.

Assim como explicamos acima, os filhos precisam de incentivos em casa, saber que aquela rotina é normal, que os estudos são fundamentais e o bom desempenho deles é importante para os pais. E acompanhar é ser presença e deixar todos esses valores claros.

Por fim, não custa recompensar, de vez em quando, o esforço do filho na escola e em casa. Afinal de contas, quem de nós não gosta de receber elogios e prêmios por uma boa nota?! Isso faz parte do processo educativo até chegar à vida adulta.

Reforço escolar, por que não?

Imaginando que você é pai ou mãe presente, às vezes, chega a hora de decidir por um auxílio extraclasse para seu filho(a). O reforço escolar, como o nome já diz, é um auxílio para as atividades escolares.

Mas também existem pessoas bem preparadas para essa atividade. A questão é não retardar, nem exigir demais da criança, porém saber o momento certo e escolher a pessoa que tenha empatia com a criança.

Em alguns casos, a própria escola pode indicar um profissional para auxiliar no reforço. Mas saber a hora de lançar mão desse recurso é acompanhar bem o filho(a) na escola.

Escola Mercedária, uma proposta antiga e sempre nova!

A Ordem Mercedária tem uma tradição de mais de 800 anos. Portanto, acumula experiência e sabedoria em suas missões, apostolados e atividades diversas em favor do povo de Deus e a serviço da Igreja.

Entre essas atividades, está a educação. As Escolas Mercedárias fazem parte do grande investimento em evangelização cultivado pelos Mercedários. Elas cresceram e se atualizaram ao longo do tempo, oferecendo ao ramo educacional um ambiente religioso, fraterno e inovador.

Dessa forma, as escolas dispõem de uma pedagogia voltada para a formação integral do indivíduo, em comunhão com a Lei 9.394/96, a BNCC, a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Sob a luz do carisma Mercedário  “Visitar e Libertar”, do ambiente à equipe pedagógica, todos estão voltados para a formação do cidadão livre do cativeiro da atualidade.

Toda essa dedicação educacional favorece um bom desenvolvimento cognitivo e forma um coração mais fraterno e solidário em cada aluno(a) que nos é confiado. Afinal de contas, acompanhamos os filhos e as filhas de Deus, junto com toda sua família.

Sobre o tema leia também: A importância dos relacionamentos familiares para a educação católica 

Leave a Comment

Your email address will not be published.

9 − 1 =